NOTÍCIAS

Jovem morre nas mãos do Estado Islâmico; ela não negou sua fé

02/09/2015

Após 18 meses de cativeiro, o Daesh (um grupo alinhado com os terroristas do Estado Islâmico) confirmou a morte de Kayla Mueller, de 26 anos. Ela era funcionária da ajuda norte-americana que forneceu assistência humanitária às populações que fogem dos ataques terroristas em várias partes do Oriente Médio. Este foi o seu trabalho até o dia em que foi capturada por membros do grupo terrorista. Fontes do governo dos EUA confirmaram que no cativeiro Kayla sofreu maus-tratos e abusos sexuais depois de ser entregue ao líder terrorista Al Baghdadi, que é responsável pela gestão das receitas do grupo terrorista.

Mas a história desta jovem cristã não termina aqui, sua fé intensa levou-a a sobreviver por muito tempo nas mãos de seus agressores. A ajuda humanitária é parte do legado deixado à jovem geração de norte-americanos que está surgindo hoje. Mas Kayla mostrou que sua fé não foi quebrada nem mesmo em meio a tantas provações e que não viveu um dia sequer sem deixar de manter o olhar fixo em Jesus Cristo. Ela conseguiu enviar uma carta à família, antes de sua morte, através de um companheiro da ONG Médicos Sem Fronteiras, que conseguiu ser mais esperto que os seqüestradores. Mesmo em tribulação, Kayla queria acalmar os pais, e disse que não era necessário negociar sua liberdade. Aqui vai uma pequena parte da carta de Kayla:

“Minha mãe sempre me disse que realmente a única coisa que temos é Deus. Estive em um lugar onde a minha experiência, no sentido literal da palavra, é que eu tenho dado ao nosso Criador, nada mais … Graças a Deus e suas orações senti-me ternamente abraçada nesta queda livre”. “Eu vi a luz na escuridão, aprendi que mesmo na prisão se pode ser livre. Sou grata. Vim para ver o bem que pode existir em cada situação, e muitas vezes você apenas tem que olhar.”

O presidente doe Estados Unidos, Barack Obama, disse que o legado de Kayla Mueller é digno de inspiração, pois ela representa todos aqueles que estão dispostos a lutar para trazer alívio para a humanidade. Em 2013 Kayla disse em uma entrevista ao diário Courier, um jornal do Arizona, onde nasceu: “Eu acho que vejo Deus nos olhos daqueles que sofrem nesses lugares, que o olhar se reflete no meu; se é assim que Deus se revela para mim, é assim que eu quero sempre procurar.“

A jovem voluntária morreu no início deste ano, sua vida e morte são um testemunho de fé, amor e devoção a Deus.

Fonte: Biblia Todo/Protestante Digital
Adaptação: Milton Alves




SOCIEDADES INTERNAS

SIGA:

Siga, compartilhe, interaja!

NEWSLETTER:

Receba as novidades da Jardim de Oração.